Apagar luzes

O Tempo

Sobre como o Tempo passa para cada um de nós

 

 

Olá Amigos,

Já ouviram a pergunta “Posso tomar um minuto do seu tempo?” alguma vez?

E quando aconteceu, vocês “deram o minuto” ou até mesmo mais tempo, não é?

E quanto vale o seu minuto?

Quero falar hoje com vocês sobre como o Tempo é em relação às nossas vidas. Destacar pra vocês a importância de levar em consideração o Tempo dos outros e também o seu.

Vamos começar com ciência. Albert Einstein tem sua conhecida Teoria da Relatividade explicando que o tempo e o espaço são relativos dependendo do ponto de vista de quem os observa. Normalmente é explicado pelo exemplo de colocar a mão sobre uma chama quente por 1 minuto ou passar 1 minuto com a pessoa que se ama. Nota-se que o tempo se alonga em uma situação e se encurta em outra.

Mas vocês já pensaram que o tempo também depende do vida do observador?

O que é 1 dia para uma pessoa com 1 dia de vida? O quanto “demora” para passar 1 minuto de uma pessoa que está viva há apenas algumas horas?

E o outro extremo também é revelador. Quanto demora a passar 1 ano para quem já viveu mais de 90? Ou quão insignificante pode se 1 hora de uma pessoa que já não consegue contar as horas que já viveu?

O tempo é relativo, sim, mas ele também tem uma outra característica muito importante. O Tempo é restrito! Eu não sei quanto Tempo terei sobre essa terra. Nem você.

Também não podemos ir até a esquina comprar um pacote de tempo ou até ir buscá-lo em outros planetas. O tempo é restrito e se esvai constantemente.

Os antigos gregos contavam o mito de Chronos, o Titã que representa o Tempo. Em toda mitologia, ele sempre foi implacável e eterno, não há negociação com ele. Ao passar da vida de seus filhos, Chronos os devorava, o que nos trás de volta ao nosso Tempo, que nos devora ao longo da vida.

Mas por que falar disso, não é? Qual a razão de um tema tão pesado?

Simples amigos, seus relógios estão em movimento. Todos temos um tempo determinado, mas o caso é que nossos relógios não andam na mesma velocidade. Muitos tem mais tempo, muitos outros menos. Porém nenhum, nem outro, sabem do tempo que lhes resta.

Então, quando uma criança lhe pedir um tempo, um momento de sua atenção, dê a ela. Pois para ela, um momento seu representa grande parte da vida dela! Pare, olhe e se encante com a efemeridade da vida refletida nos olhos de um pequeno.

Quero terminar com uma frase que conta uma fábula, que é curta em espaço, mas longa em tempo:

“A Vida e a Morte se apaixonaram, mas não podiam ficar juntas. Depois de separadas, seu amor era tão grande que, não havendo como deixar de se comunicar, a Vida passou a mandar incontáveis presentes para a Morte, que os guarda com todo o carinho.”

Carpe diem, amigos!

Abraço!

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *